SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Cresce o satanismo no mundo

Conforme nossa postagem anterior Geração friki, o homem do futuro , nota-se ultimamente uma tendência que leva a juventude fatalmente ao satanismo. Há sintomas disto em toda parte do mundo. E o “frikismo” pode ser uma tendência cujo ponto final seja isto. Senão, vejamos:
1. Aqueles que vivem num mundo virtual criam para si realidades distintas e até contrárias ao seu mundo real. Nesta perspectiva, criam ídolos que se tornam “deuses”, personagens que se tornam “santos”, ficções que se tornam “realidades”. Todas estas “verdades” virtuais nascem nos filmes, nos chats, nos links de relacionamentos da internet, nas publicações fanzines, nos grupos ou “tribos” de relacionamento social, etc. Com a mente impregnada de imagens virtuais deste mundo irreal, os jovens não assimilam a realidade que os cerca e aceitam com facilidade as mensagens, as imagens, os paradigmas que ali lhes impingem falsos ideais.
2. “Viver” neste mundo virtual não quer dizer estar inteiramente passivo do mundo real, mas as ações exercidas no mundo real serão inteiramente condizentes e afins com o virtual. Assim, um jovem assimila conceitos, idéias, pensamentos, rituais, maneiras de ser, que no mundo virtual são meio mágicos e lhe levam a sonhar com uma vida cheia de fantasias. Estes sonhos lhes fazem ter verdadeira fobia por aquilo que lhes estraga esta “felicidade virtual”. Serão, então, odiados os personagens, os amigos, os parentes, todas as pessoas ou instituições que possam causar obstáculos ao seu imaginário. Foi assim que um jovem, na Itália, esfaqueou um sacerdote numa igreja logo após sair de uma sessão do filme “O Código Da Vinci”. Ele viu personalizado naquele religioso o obstáculo a sua “felicidade virtual”, preconizada embora indiretamente no filme. Nele descarregou seu ódio.
3. Este mundo virtual vai levar tais jovens paulatinamente a um aprofundamente de sua entrega a várias manifestações esotéricas, misteriosas e até diabólicas. Muitos poderão também, na vida real, a aderir a grupos estranhos como punks, nazistas, "góticos", tribos de rock e de rituais secretos de bruxaria, ou mesmo da própria maçonaria (embora de pouca atração ultimamente). Por que? Porque o mistério atrai a muitos. A outros atrai também o poder, a organicidade dos grupos tribais secretos, etc. De tal forma este atrativo é intenso em alguns, que logo estes passam a ter profunda empatia pelos ídolos de sua imaginação: vestem-se como seus cantores prediletos, seus personagens de filmes ou dos jogos eletrônicos que mais o impressionaram, agem e vivem nos grupos que mais assimilem e mantenham viva a empatia por tais personagens.
4. Desta forma, de grau em grau, paulatinamente, de um grupo a outro, de um personagem a outro, vários jovens vão aos poucos aderindo a grupos manifestamente satânicos. Desde a mais tenra infância a indústria da imagem já começa a acostumar os jovens modernos com o monstruoso, o horrendo, o bestial: basta ver os personagens dos desenhos animados, dos alienígenas, quão horrorosos e grosseiros são em seus formatos e imagens. Na fase final do processo, juntam-se a grupos que vão a cemitérios realizar rituais diabólicos, como os chamados “góticos”. Por que agem assim? Porque já viram centenas ou milhares de vezes aquelas cenas nos filmes e nos jogos eletrônicos, cujo lento processo de empatia os leva agora a prática real do que antes era virtual... Estão circulando vários vídeos no youtube, cujas cenas exploram a violência incongruente, como dos lutadores que no ringue matam até mulheres indefesas quebrando-lhe o pescoço. E quando a mídia divulga os casos de jovens que matam em série e depois se matam, aquelas cenas lhes causam impacto e fascínio. Do fascínio à execução ou repetição dos crimes pouco resta... Quantos não procurarão imitar aquele jovem que saiu atirando e matando estudantes e professores nos Estados Unidos!
E quando se fala em bruxaria fala-se também em satanismo, que tem aumentado assustadoramente. Tem se tornado freqüente o caso em que pessoas praticam rituais satânicos, nos quais são imoladas vítimas ao diabo. O caso mais rumoroso foi o que ocorreu com o satanista Charles Manson, na década de 60, autor de uma chacina nos Estados Unidos em que morreu a atriz Sharon Tate, em estado de gravidez, e outras pessoas, todas oferecidas em rituais ao diabo. O sujeito foi condenado à prisão perpétua e de dentro da cadeia está incrementando uma onda de simpatizantes na América: de lá recebe cartas de fãs, compõe poesias e músicas e faz crescer o número de adeptos do satanismo. Agora, com esta onda virtual espalhada pelo mundo, talvez os adeptos de Charles Manson estejam sendo ultrapassados.
5. Algumas notícias mostram um pouco os frutos amargos desta mentalidade. No Brasil, um jovem de apenas 16 anos assassinou friamente três pessoas, colocando-as em seguida em posição de crucifixão. Disse o mesmo, ao ser interrogado, que deixava os cadáveres naquela posição porque eram falsos cristãos. Também falou que desejava tornar-se um famoso “serial killer”, tendo se achado em sua casa fotos e reportatens do famoso “maníaco do parque”, um outro assassino em série que matou dezenas de mulheres em São Paulo. Quer dizer, na mentalidade “friki” deste jovem havia um mundo virtual, um mundo alheio ao que existia em seu redor, mas que lhe alimentava uma fantasia assim tão macabra e horrível. Quantos jovens iguais a este não existem no mundo de hoje, cuja mentalidade virtual está sendo alimentada pela internet, pelos filmes, pela mídia e por todo tipo de educação pela imagem, transformando-os gradavidamente em verdadeiros monstros “frikis”!
Na Rússia, um crime destes vem causando comoção nacional. Quatro adolescentes foram assassinados com 666 punhaladas cada um, cozinhados num fogueira e em seguida comidos por outros jovens. Isto ocorreu na localidade Yaorlavl, a 480 km de Moscou. Trata-se de três garotas de 16 anos (Anya Gorokhova, Olga Pukhova e Varya Kuzmina) e um garoto de 17 anos (Andrei Sorokin), que estavam desaparecidos desde junho passado. Os criminosos, em número de oito, são adeptos dos grupos “góticos” e fãs de uma banda chamada “Os Diabos”, foram presos e confessaram o crime, dizendo um deles: “satanás me ajudará porque lhe fiz muitos sacrifícios”. Os pais sabiam que os rapapazes eram “góticos” mas supunham que era uma moda inofensiva. Está havendo uma onda de crimes relacionados a rituais satânicos na Rússia, com mais de 15 mortes do gênero em apenas dois meses. Mas esta onda de satanismo não é apanágio somente da Rússia, ela percorre o mundo todo, especialmente nos países mais desenvolvidos como Estados Unidos, Inglaterra, França e Itália.

3 comentários:

Inominável Ser disse...

Considero uma tremenda ignorância associar a Subcultura Gótica ao Satanismo, procures saber mais acerca da mesma.

Charles Manson é um débil mental, nada tendo a ver com a Filosofia Satânica como pregada por Anton Szandor LaVey, procures estudar mais sobre esta.

Procures, também, estudar o Satanismo Moderno e o Satanismo Tradicional, coisas bem diferentes que não devem jamais ser misturadas na mesma caldeira e, assim, vossos textos e pensamentos lançados na Internet serão mais esclarecidos.

Vítor Vieira disse...

Texto tendencioso, imparcial, e no mínimo, nem um pouco verossímil. Primeiramente, o adolescente do qual você fala, não é simplesmente "o" adolescente atual. Você não descreveu um adolescente atual, você descreveu um imbecil, sem vida social, sem amigos, sem família, e altamente influenciável. E sinto muito, mas este não é o padrão a se tomar para fazer uma regra, e isto que seu texto parece fazer, uma vez que não determina que estamos tratando de uma minoria de, como já disse, imbecis.

Em seguida, como comentado acima, a subcultura gótica nada tem a ver com Satanismo, muito menos com matar pessoas, ou viver num mundo macabro paralelo onde sacrificam-se pessoas em nome de um diabinho de chifres.

E agora o pior ponto do texto, falar sobre Satanismo. Não o critico mais pois definitivamente é um leigo no assunto e nada mais tem senão o senso comum do que chamo de Satanismo Cristão. Mas o que de fato ocorre é que, Satanismo, este nome mesmo, diz respeito a uma religião, instituída, organizada e com preceitos próprios que passam longe de anticristianismo, ou ainda práticas criminosas.

Mas não o culpo, sei que para muitos aqui no Brasil, o Satanismo como de fato o é, passa longe da mente das pessoas que só sabem associar a palavra à inversão cristã. Mas lhes digo, Satanismo não é isso. Procurem ler sobre Anton LaVey.

Anônimo disse...

SATANISMO = LIXO
RELIGIÃO = LIXO

LOGO, SATANISMO = RELIGIÃO = LIXO ELITISTA.