SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

domingo, 5 de outubro de 2008

"Dia do Nascituro" coroa Semana Nacional da Vida


Perante a perspectiva da aprovação do aborto de anencéfalos pelo STF no próximo mês de novembro, é muito oportuno o movimento criado pela Pastoral Familiar da CNBB: a Semana Nacional pela Vida (de 1 a 7 deste mês) e o "Dia do Nascituro" (dia 8). Em 2005 a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), instituiu a Semana Nacional de Defesa da Vida, de 1 a 7 de outubro e 8 o Dia do Nascituro. Nesse período, as dioceses são convidadas a desenvolver várias atividades em favor da vida. A Declaração sobre Exigências Éticas em Defesa da Vida, fruto da Assembléia Geral, conclama toda Igreja a refletir, em profundidade, através de celebrações, cursos, encontros e seminários sobre temas de bioética, e a se manifestar, sempre que necessário, sobre o valor da vida em todas as suas dimensões. Para ajudar as comunidades a celebrar o grande dom da vida, a Comissão para a Vida e Família e a Comissão Nacional da Pastoral Familiar prepararam cartaz e folder que estão sendo enviados a todas as Dioceses e paróquias.
Desde 1983, comemoramos, em 08 de outubro, o Dia pelo Direito à Vida. Em Painel realizado na Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, realizado pelo Movimento em Defesa da Vida, foi escolhida essa data, intencionalmente durante a Semana da Criança, a fim de possibilitar campanhas positivas, valorizando e defendendo o Direito à Vida da criança ainda não nascida. Desde então, têm sido divulgados pela mídia alguns dos eventos promovidos pelo Movimento.
O Movimento em Defesa da Vida (MDV) de Porto Alegre teve início em 1981, por sugestão da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que, em 1980 reuniu, na cidade de São Paulo, uma Comissão de Emergência em Defesa da Vida, composta por lideres de Movimentos Familiares de diversas cidades do Brasil. Essa comissão foi solicitada a organizar-se em vista de propostas pela legalização do aborto que, naquele ano, estavam sendo feitas por diversos deputados, por campanhas subliminares e por debates nos Meios de Comunicação Social.
Formada a primeira Comissão em Porto Alegre, foram definidos os objetivos do Movimento em Defesa da Vida: trata-se de um movimento civil, de caráter educativo e social, sem fins lucrativos, que visa conscientizar o povo sobre o respeito à vida humana desde a concepção até a morte natural.
O MDV surgiu na Igreja Católica com um grupo de voluntários leigos, mas incorporou todas as pessoas que lutam pelos direitos humanos, independentemente de credo religioso, por tratar-se de Direito fundamental do Ser Humano: O DIREITO À VIDA.
A luta pelos Direitos da Pessoa Humana é mais atual do que nunca. Enquanto os poderosos proclamam o "fim da História", as violações contínuas aos direitos mais básicos da maioria clamam por uma nova civilização, fundada na comunhão e na participação. A violência se concentra sobre os mais indefesos, dentre os quais as crianças no ventre materno são as primeiras. Exploração, tortura, terrorismo, racismo, machismo, guerra, pena de morte, eutanásia e aborto tem de acabar! "O dia pela vida" já é celebrado em muitos países do mundo. A CNBB em reunião do Conselho Permanente, em novembro de 1999, já oficializado o dia 08 de outubro como o "DIA NACIONAL PELA VIDA". Esta data também foi escolhida por estar na semana da criança. A carta magna sobre a vida é a encíclica de João Paulo II "Evangelium Vitae" (EV). O papa, neste texto, enaltece a vida, como o dom dos dons que recebemos de Deus. Infelizmente, como enfatizou, vivemos em um mundo que parece incentivar mais a cultura da morte. "Estamos plenamente conscientes, diz o Papa, de que nos encontramos perante um combate gigantesco e dramático entre o mal e o bem, a morte e a vida, a "cultura da morte" e a "cultura da vida". Encontramo-nos não só "diante" mas necessariamente no "meio" de tal conflito: todos estamos implicados e tomamos parte nele, com a responsabilidade iniludível de decidir incondicionalmente a favor da vida" (EV 28). Diz o Papa: "A vida humana é sagrada, porque, desde a sua origem, supõe a ação criadora de Deus e mantém-se sempre numa relação especial com o criador, seu único fim" (EV 53). A vida humana possui, portanto, um caráter sagrado e inviolável" (EV 22).

Nenhum comentário: