SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Já querem instituir o "batismo civil" na Espanha

Recentemente, na Espanha, grupos socialistas fizeram um movimento para que seus nomes fossem tirados dos registros de batismo das igrejas católicas. Declaravam que assim pretendiam "renunciar" ao nome de cristãos. Hoje ocorre coisa pior: além de não batizar seus filhos ainda querem que o batismo cristão seja substituído pelo "batismo civil". Conforme notícia divulgada pelo portal católico "Forum Libertas", grupo socialista realizou uma "cerimômia" civil de batismo de uma criança, num claro e afrontoso acinte ao sacramento do batismo católico. A blasfema cerimônia foi realizada pela autoridade responsável pelo registro civil da criança, na Espanha chamado de "concejal". Foi dado ao filho da atriz Cayetana Guillén Cuervo "la bienvenida democrática" da mesma forma como se batiza um baco ou um edifício. É claro, não poderia ser diferente, pois somente o batismo cristão imprime caráter, enquanto este outro, uma macaquice mal humorada do cristão, é apenas uma encenação ridícula para diminuir o valor do verdadeiro batismo. O "mestre de cerimônia" deste afrontoso "batizado" foi um socialista de Madrid, Pedro Zerollo, querendo introduzir uma novidade nos assentamentos de registros de nascimento de crianças em Madri. Afirmou o "mestre de cerimônia" que assim se deu a "benvinda democrática" à criança, de três anos de idade, seguindo os princípios de... liberdade, igualdade e... (esqueceu-se da outra palavra, "fraternidade", da trilogia da Revolução Francesa, e encaixou outras...) "a tradição iniciada na Revolução Francesa". Que tradição, hem? Já a mãe da criança "batizada" foi mais moderada, achando apenas que aquilo não passava de uma cerimônia simbólica, como a de um barco ou edifício, e nada de sacramental como o do cristão. No entanto, frisou que desde que a criança nasceu sempre lhe quis dar umas "boas vindas" democráticas e laicas. Sempre achava que o simples registro civil de um filho não passava de um protocolo, havia necessidade de algo mais cerimonioso e ritual como o de um batismo...
Este ato não vai ficar por aí, pois já se cogita entre membros do Partido Socialista Espanhol, que isto se torne ma coisa "legal", isto é, o "batismo civil". Será? Antes que o Estado institua um "batismo civil" ele terá que, em primeiro lugar, fundar a sua religião...

3 comentários:

Anônimo disse...

Adorei : "agora existe coisa pior" ... não tem nada pior que ter a mente fechada ... o que o autor desse blog parece ter. Extremismo nunca é a solução ...

Juraci Josino Cavalcante disse...

Tem gente que é extremista até no anonimato. É o caso acima.

Anônimo disse...

Graças a deus q assim é! Os espanhois estão sempre à frente nas questões de igualdade (aborto, casamento entre pessoas do mesmo sexo...) A pergunta é: para quando em Portugal cerimónias de batismo civis? Faz muito sentido, principalmente para quem quer fazer uma cerimónia com os padrinhos que escolheu para os filhos, onde estes são chamados a assinar um contrato de compromisso de cuidado e ajuda na ausência dos pais, sem ter que recorrer à exploração da igreja.