SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

quarta-feira, 24 de março de 2010

Falece o Padre Marx, aquele que ensinou o mundo inteiro como defender a vida

No último sábado, 20 de março, falaceu o fundador do movimento “Human Life Internacional”, prestes a completar 90 anos de idade, Pe. Paul Marx, OSB. A propósito, publicamos abaixo o texto divulgado no boletim “Spirit and Life” sobre o mesmo:

Do Rev. Padre Thomas J. Euteneuer, presidente da “Human Life International” (HLI)

“O Padre Marx ensinou o mundo inteiro como ser pró vida!
O Abade John Klassen, OSB, da Abadia de St. John, em Collegeville, Minnesota, EEUU, me informou pessoalmente que o venerável fundador do Human Life International, o Ver. Padre Paul Marx, se foi em paz para receber seu prêmio eterno às 8:10 da manhã.
Segundo testemunhas oculares, no momento de sua morte, o Padre levantou os braços e disse: “Leva-me para casa”. Como era o adequado, morreu durante o Ano Sacerdotal, poucos meses antes de completar 90 anos. Não é demais dizer que o lamentaremos muitíssimo!
O Padre Marx fundou o HLI com o nome de Human Life Center (Centro para a Vida Humana) em 1972, com o desejo de combater o ataque global contra a vida que começava a cobrir o mundo com o sangue dos inocentes. Infiltrou-se num congresso pró-aberto na Califórnia em 1971 com o nome de Dr. Paul Marx (o qual era verdadeiro, já que possuía PhD em sociologia) e gravou todas as conferências dos abortistas, para assim poder denunciar o mal que estavam promovendo. Publicou sua denúncia em seu livro “The Death Peddlers” (Os Mercadores da Morte), a primeiro grande obra de seus muitos escritos que puseram a descoberto a terrível maldade do negócio do aborto. O legado do Padre Marx, de denunciar o mal e defender o ensinamento da Igreja acerca da santidade da vida humana, o matrimônio e a família, continua profundamente gravado nos corações daqueles que realizam o trabalho pró-vida animados por seu indomável espírito.
Tive o privilégio de conhecer o Padre Marx pela primeira vez depois de haver se retirado da HLI. Ninguém pode imaginar a dificuldade de assumir a presidência da HLI e tentar preencher o posto de quem o Papa João Paulo II chamou “O Apóstolo da Vida”. Sempre tenho dito que há um só “Apóstolo” da Vida – o resto de nós simplesmente somos “missionários” da vida. De fato, o Padre Marx foi, de todas formas possíveis, um dom único e irrepetível da Igreja ao mundo. Como o Apóstolo que levava seu nome, São Paulo, o Padre Marx foi por todo o mundo pregando o Evangelho de Cristo, dos anos 60 aos 90, estabelecendo grupos apostólicos e organizações pró-vida para levar a cabo esta missão. O Padre Marx foi como o semeador que pessoalmente semeou a boa semente da vida em 91 países e que motivou a muitos ao redor do mundo a fazer o mesmo.
Calculamos que o Padre Marx viajou aproximadamente quase 5 milhões de quilômetros em seus mais de 40 anos de atividade pró-vida. E ainda, depois disso, seus filhos espirituais têm feito o mesmo. Somente em 2009, os missionários do HLI dos EEUU e nossos coordenadores regionais de todo o mundo, viajaram mais de 900.000 quilômetros e visitado 57 países num intento por imitar o elevado exemplo e firmeza do Padre Marx por difundir o Evangelho da Vida!
Parte do legado do Padre Marx ficou expresso nos programas da HLI, como o Resgate Madalena, o Programa de Reabilitação, o Programa de Orfanato na China, Seminaristas pela Vida, o Instituto de Investigação sobre a População (PRI,sigla em inglês) e o Instituto Católico para a Família e os Direitos Humanos (C-Fam, sigla em inglês), todos fundados sob o beneplácito do HLI nos anos 90.
Mesmo que o Apóstolo da Vida tenha estado retirado durante a última década sob os cuidados de sua comunidade religiosa em Minnesota (era beneditino), nunca deixou de manter-se em contato com os assuntos pró-vida, nem tampouco abandonou a correspondência com seus filhos espirituais que todavia estão envolvidos na luta pela vida nas trincheiras do movimento pró-vida. Quão valioso tem sido para mim receber suas breves cartas periódicas animando-me a manter o espírito de luta ante tantos novos desafios. O Padre Marx sempre foi muito consciente também da necessidade de financiamento, pelo que usualmente enviada cheques de $25 e $50 com suas cartas! Tenho entesourado essas cartas com todo meu coração. O Dr. Brian Clowes, da HLI, e a Sra. Magaly Llaguno, da Vida Humana Internacional, a seção espanhola da HLI, têm sido seus mais íntimos amigos e se mantiveram em contato habitual com ele. Muitos outros são os missionários da HLI ao redor do mundo que receberam suas cartas e as mensagens de ânimo do Padre, algumas das quais daremos a conhecer em futuras publicações.
Que eu saiba, a última aparição em público e o último discurso do Padre Marx foi durante o banquete do 35º aniversário da HLI que teve lugar em sua honra em Minneapolis, a 25 de março de 2007. O Padre falou apaixonadamente a seus filhos espirituais repetindo com fervor as mesmas palavras que lhe dirigiu o Papa João Paulo II durante seu encontro com o Santo Padre em princípios dos anos 80: “Você está levando a termo o trabalho mais importante do mundo!” E é verdade, estamos realizando esse trabalho – trata-se de seu ofício e da do verdadeiro ofício da Igreja. Devido ao espírito indomável deste homem, não deixaremos de levar a cabo este trabalho até que o Senhor nos leve para a Casa.
O Padre Marx ensinou ao mundo inteiro como ser pró-vida. Agora toca a nós colocar o manto do espírito profético do Padre Marx e, como Eliseu, que viu seu mestre Elias subir ao céu num carro de fogo, devemos dividir em duas as águas do Jordão com seu manto e investir na luta, tal e como o havia desejado o Apóstolo da Vida!"

Nenhum comentário: