SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

terça-feira, 8 de abril de 2008

Silêncio da mida sobre o aborto no Brasil

Existem alguns temas que são tabu na mídia nacional. O aborto é um deles. A fim de manter a aparência de se fazerem eco à opinião nacional, os órgãos da mídia preferem silenciar (ou quase nada falar) sobre este tema, pois quanto mais se fala dele mais se acende o sentimento anti-abortista da maioria do nosso povo. Manter esta aparência, no caso, é silenciar sobre algo que eles gostariam de falar o contrário da realidade: isto é, propagar abertamente a prática do aborto ou sua despenalização pela Justiça.
Em outros países o tema é acirrado nos órgãos da imprensa. Diz-se o que quiser contra ou a favor. No Brasil, não. Silencia-se. Vez por outra surgem notícias sobre algum médico punido pela justiça ao praticar algum aborto, mas logo em seguida volta-se ao silêncio e não se fala sobre certas circunstâncias que fazem do aborto um crime tão hediondo.
A fim de pesquisar o óbvio (ululante, como diria Nelson Rodrigues), a "Data Folha" fez uma pesquisa sobre o aborto. Num universo de 4 mil brasileiros pesquisados se chegou á conclusão de que 68% de nossa população é contrária à despenalização do aborto. Esta cifra está em escala ascendente, pois nos anos anteriores os índices eram de 63% em 2006 e de 65% em 2007. É provável que depois desta a "Data Folha" não venha mais a fazer este tipo de pesquisa, ou então dê um espaço de tempo maior para fazer outra, esperando que alguma propaganda ardilosa (como vem fazendo certas matronas protegidas cinicamente sob o nome de católicas - "Católicas pelo Direitos de Decidir") possa mudar este quadro.
Aliás, as tais "Católicas pelo Direito de Decidir" haviam feito semelhante pesquisa mas não tiveram coragem de divulgar seus resultados. "Direito de decidir" elas já o possuem, falta agora que "decidam": decidam revelar-se realmente quem são para não enganar mais ninguém. No dia que "decidiram" autoproclamar-se "católicas" esqueceram-se que este título não pode ser atribuído aleatoriamente, há que se juntar a ele um procedimento que seja coerente com os princípios da Instituição, a Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana, cuja doutrina é emanada dos Papas.
"Decidam", pois, antes que seja tarde.

Nenhum comentário: