SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

quinta-feira, 29 de março de 2012

"Ele tem o rosto de um anjo"

Como mais um ato de uma comédia, e após rumores de “conversão”, Fidel Castro visitou o Papa no seu último dia em Cuba. Depois disso, os comunistas dirão: “Estão vendo, Fidel não é tão mal assim; foi até visitar o Papa...” Só não teve coragem de beijar a mão de Bento XVI – aí também já seria o supra-sumo da hipocrisia.
Segundo Lombardi, Fidel Castro viu Bento XVI como uma "boa pessoa" e que tem "o rosto de um anjo".
A reunião entre Castro e o Papa veio depois da missa celebrada na “Praça da Revolução”. A reunião durou meia hora na sede do Núncio Apostólico da Santa Sé em Havana. Castro estava acompanhado de Dalia, atual esposa, que mais tarde se juntou a dois filhos. "Foi um encontro sereno e cordial", disse Lombardi. E como não haveria de sê-lo?
Quanto à balela da conversão de Fidel Castro, sua filha Alina Fernandez tachou-a de "improvável". "Seria bom se o meu pai, doente e idoso, voltasse às raízes da fé em que ele cresceu, quando estudou com os jesuítas. Seria bom restaurar a humanidade perdida. Mas acho que não, porque eu acho que ele se considera imortal ", disse ela ao jornal italiano La Stampa.
Alina Fernandez é filha ilegítima (quais deles são legítimos?) de Castro e ferrenha crítica do regime comunista de Cuba. Fernandez fugiu de sua terra natal em 1993 e agora vive em Miami (Estados Unidos) com milhares de outros cubanos que preferiram arriscar a vida na perigosa travessia do golfo do México do que viver sob a ditadura comunista.
Jornais italianos especularam nos dias que antecederam a visita pastoral do Papa Bento XVI sobre um possível encontro entre Fidel e o Papa durante a visita papal, em que o líder comunista supostamente usaria para se reconciliar com a Igreja. Poucos perceberam que tudo não passava de um ardil da propaganda comunista: era preciso mostrar um Fideal com uma imagem diferente daquela que a opinião pública está acostumada a ver, de um homem ruim, perverso, sanguinário e verdugo de seu próprio povo. “Ele agora tem ate propósitos de conversão á fé católica...”, poderiam pensar muitos ingênuos.
Na semana passada, quando perguntado sobre o futuro de Cuba, o Papa Bento XVI disse que "é hoje evidente que a ideologia marxista já não reflete a realidade", acrescentando que os modelos "novos podem ser encontrados com paciência. " Isto é, o comunismo está com seus dias contados. Fidel Castro, com quase 86 anos, está afastado do poder desde 2006 por causa de um câncer, mas ainda é uma personalidade importante, ainda dá ordens no governo. Quando encontrou-se com o Beato João Paulo II, em janeiro de 1998, Fidel não viu o Papa “com cara de anjo” como agora: mudança de comportamento ou esperteza política? Ou será que (para ele) Bento XVI tem fisionomia mais dócil e angelical do que João Paulo II?
Durante a reunião, segundo Lombardi, foi Castro quem fez as perguntas. Na ocasião, revelou que desde que deixou o poder em Cuba dedica sua vida ao estudo e à reflexão. Ele quis dizer, com isso, que hoje é um homem pacato, que vive de estudo e reflexão. Quem não vê nisso um recado para a opinião pública? Quem não vê nisso um lance publicitário? Ele também confessou que percebe que a liturgia atual é diferente do que ele sabia que era em sua juventude; foi quando o Papa parou para explicar quais foram as mudanças que têm ocorrido nesta matéria.
Além disso, o Papa e Castro falaram sobre as dificuldades atuais enfrentadas pela humanidade e como a ciência tem sido incapaz de resolver questões relevantes como a ecológica, cultural ou a forma como diferentes religiões enfrentam os problemas. O Santo Padre poderia então explicar como isso poderia resolver esses problemas sérios com a realidade de uma sociedade na qual Deus é deixado de fora da vida cotidiana. Nesse sentido, Bento XVI falou da relação entre fé e razão liberdade e responsabilidade.

Papa diz adeus à Cuba

Em um discurso de despedida após a visita pastoral intensa, que começou em 26 de março, o Papa encorajou Cuba para ser “a casa de todos os cubanos com justiça e liberdade”, e onde banir os pontos de vista arraigados para pesquisa o que une todas elas e construir um país e o bem comum.


No Aeroporto Internacional José Martí de Havana, perante o presidente de Cuba, Raul Castro, o corpo diplomático, os bispos da ilha e do resto da América Latina, o Santo Padre disse: "Cuba reaviva em vós a fé de teus ancestrais , tira dela a força para edificar um futuro melhor, confia nas promessas do Senhor, abre teu coração ao seu Evangelho para renovar autenticamente a vida pessoal e social”.





Nenhum comentário: