SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Alegria dos devotos de Maria; tristeza dos que a renegam

O padre Ventura de Raulica, teólogo e pregador italiano, viveu grande parte de sua vida no século XIX, e foi Geral da Ordem dos Teatinos de1830 a1833. Escrevendo em meados daquele século em que viveu, estabeleceu um interessante confronto entre a alegria dos católicos, devotos de Nossa Senhora, e a infelicidade dos protestantes, avessos Àquela que é o consolo dos tristes.
“Um dos preciosos efeitos do culto a Maria é aumentar; nos que o praticam, a fé, esperança e a caridade, e de outorgar a estas virtudes, que constituem o cristão, um peculiar encanto e uma espécie de atividade, de poder e de vida. Assim, pois, como a paz da alma é proporcionada a vigor e a firmeza de ditas virtude, é evidente que o culto a Maria é e deve ser uma fonte de contentamento para a alma fiel. (...)”
“[Com efeito], uma das características próprias das populações católicas e que as distingue das protestantes ou incrédulas, é a alegria. Percorra-se a Espanha, a Itália, a Irlanda a França, e se notará a alegria em toda parte. Ao passo que viajante que visita a Alemanha ou a Suíça, a Inglaterra ou a Holanda protestantes, fica surpreendido ao ver certo ar sombrio, pensativo, receoso, pintado em todas as fisionomias, como uma nociva exalação de um corpo enfermo. Ar que se considera como seriedade, não sendo outra coisa senão tristeza.”
“Os protestantes se vangloriam de seu recolhimento no templo, e nos censuram o ar gozoso com que estamos em nossas igrejas. Porém, bem considerado, esse recolhimento não é outra coisa que a taciturnidade do temor, enquanto que a alegria dos católicos é a expansão do amor. (...)”
“Os protestantes tiraram das igrejas, de que nos despojaram, as imagens de Maria e , pouco depois as de Jesus Cristo. (...) Esta viuvez dos templos de todo objeto religioso, encontra-se [também] nas cidades [daqueles hereges]: nem uma cruz, nem uma imagem da Mãe de Deus, nem um sinal que revele ao estrangeiro que seus pés pisam um solo cristão. Em vista disto, logo entendemos o afã de ditas populações para ganhar dinheiro por todos os meios, e proporcionar-se as comodidades e as delicias da vida"

Nenhum comentário: