SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

terça-feira, 17 de maio de 2011

Isamitas ou islamitas?

ISLAMITAS são os membros de uma seita religiosa que praticam o islamismo, religião espalhada em grande parte do oriente. De modo geral, são mais conhecidos por seu ódio ao cristianismo e mover intensa perseguição aos católicos.


E o que são os ISAMITAS? Trata-se de um grupo religioso, que se dizendo católico, entretanto agem pior do que os islamitas, pois perseguem seus próprios irmãos na fé. Abaixo, vamos mostrar o que é e como age o ISAMIS e os ISAMITAS.



Vejam os exemplos abaixo:



Para saber a verdade sobre o Isamis, acesse este vídeo no Youtube:



http://www.youtube.com/watch?v=d4G1SW13uMw&feature=related




Durante a administração de Mons. López (bispo resignatário e principal inspirador do grupo ISAMIS), a administração dos sacramentos, como Batismo, Eucaristia, confissões, etc., era dificultada aos fiéis: era-lhes exigido que trabalhassem durante determinado tempo em labores agrícolas, após o que teriam direito a determinado número de sacramentos. Este método se parece muito com o que é aplicado pela “Igreja Nacionalisa” da China (cismática) e por alguns membros da igreja progressista do Vietnã.


Nas casas de vida monacal (conventos) havia mistura entre homens e mulheres convivendo no mesmo prédio, mesmo quarto, mesma cama...


A forma de se celebrar a santa missa era contrária ao Ordo da Igreja, havendo casos em que o celebrante era um leigo...Chegaram a impedir que católicos assistissem a santa missa: com cadeado na igreja e obstrução da entrada do templo: veja este outro vídeo:



http://www.youtube.com/watch?v=r0fpZiW_V60


E a maioria dos fiéis apoiavam o trabalho dos Isamitas? Vejam o que dizem os fiéis de Sucumbios sobre eles:




http://www.youtube.com/watch?v=VcXIGMbG9c4&feature=related




E os fiéis realizam grandiosa marcha pela paz, a favor dos Arautos, numa manifestação pública e pafícica de grande envergadura no lugar. A propósito, o tenente coronel César Terán, chefe de Controle da Polícia de Sucumbios, asseguou ao diário "El Comércio" que a "Marcha Branca" a favor dos Arautos do Evangelho foi a maior que já viu na cidade. Veja abaixo o link de um vídeo postado no Youtube sobre referida marcha.


http://www.youtube.com/watch?v=z8OKdrk7Qlo&feature=related

Os Arautos do Evangelho estão em Sucumbios desde 30 de outubro de 2010, quando a Santa Sé aceitou a renúncia de Dom Gonzalo López Marañón e nomeou como administrador apostólico o padre Rafael Ibarguren, EP., que até esse momento desempenhava a função de capelão e assistente espiritual do Colégio Arautos do Evangelho Internacional de Assunção, Paraguai, e Conselheiro da Federação Mundial das Obras Eucarísticas da Igreja, entre outros cargos.

O Vicariato é um tipo de jurisdição territorial da Igreja criada em regiões de missão que ainda não se constituíu como diocese. É, portanto, de carater provisório até ser nomeado um bispo.



Sucumbios é uma provincia do nordeste do Equador, tendo como capital e maior cidade Nueva Loja. É a quinta maior cidade do país. Limita-se com a Colômbia e de lá é sempre rota de fuga dos guerrilheiros das FARC.



JUSTIÇA INTERVÉM E DEVOLVE EMISSORA AO VICARIATO



Segundo um comunicado de imprensa dos Arautos de Sucumbios, a administração do Vicariato manteve uma reunião com Mons. Ángel Polivio Sánchez, bispo de Guaranda, secretário da Conferência Episcopal Equatoriano e Delegado Pontifício para o Vicariato Apostólico de San Miguel de Sucumbios. Na ocasião foi referida a dolorosa situação econômica em que se encontra o vicariato, e em especial a situação crítida emissora de rádio, que pertence legalmente à Igreja.
Faltando recursos para manter os quase 20 empregados da rádio, ao custo em torno de 12 mil dólares mensais, e na falta de receitas da própria emissora que permitam mantê-la, era necessário tomar uma série de medidas administrativas. Não havia outra alternativa a não ser reduzir a quantidade de funcionários, colocando voluntários em seu lugar.


A Administração do Vicariao viu-se na contingência de proceder às demissões dos referidos funcionarios. Mas os mesmos repeliram os emissários do Vicariato e não aceitaram assinar os documentos de demissão. Na realidade, estavam ocupando a emissora como rebelados contra a nomeação do novo Vigário Apostólico pelo Vaticano, divulgando calúnias e difamações contra a Ordem a que o mesmo pertence, os Arautos do Evangelho.





Sem outra alternativa, o Vigário Apostólico deu entrada numa ação judicial, solicitando o despejo daqueles que ocupavam agora ilegalmente a emissora. Sob ordem judicial, a policía invadiu o prédio e fez o despejo dos amotinados.




Entenda o que está ocorrendo em Sucumbios.


Em outubro do ano pasado, o Papa Bento XVI aceitou a renuncia por limite de idade de Dom Gonzalo López Marañón, OCD, nomeando em seu lugar o padre Rafael Ramón Ibarguren Schindler, EP, da Ordem Virgo Flos Carmeli , pertencente aos Arautos do Evangelho. No dia 31 do mesmo mês Dom Gonzalo faz a transmissão do cargo pacíficamente.


Porém, segundo fontes, o bispo resignatário arrependeu-se depois (de haver renunciado) ou foi induzido por outros religiosos da sede de sua ordem em Burgos, na Espanha, e passou a insuflar a revolta dos outros frades residentes em Sucumbios contra o novo administrador do Vicariato pelo simples fato do mesmo pertencer aos Arautos do Evangelho.


Convidado a retirar-se pelos superiores, Dom Gonzalo no entanto permaneceu em Quito, levando falsas informações ao presidente do Equador que o induziu a fazer um pronunciamento contràrio à permanência dos Arautos do Evangelho naquela localidade. Posteriormente, o presidente Rafael Correa esteve em visita ao Vicariato e, verificando a realidade dos fatos, voltou atrás e se retratou do que dissera.


Os carmelitas residentes em Sucumbios passaram, então, a levar a efeito uma triste campanha pública de difamação, de rebeldía declarada e de insuflação contrária ao Administrador do Vicariato. Como a população, em peso, via com bons olhos a nova administração, voltada somente para o exercício das funções religiosas, ministrar os sacramentos, o culto e o ensino da Doutrina Cristã às comunidades, logo se distinguiram duas correntes: uma formada pelas comunidades alimentadas pela Teologia da Libertação (minoría, porém ativa e aguerrida) e outra formada pela maioria dos fiéis. Os da TL chegaram a fechar uma igreja, a cadeado, para não permitir o ingresso dos fiéis ao seu interior para assistir à Missa.


O que motiva os revoltosos são os principios da famosa “Teologia da Libertação”. Entre eles não se diz que a pessoa é “Católico”, mas “Isamita”, termo originado da palabra ISAMIS, que significa “Iglésia de San Miguel de Sucumbios”. É como se em Sucumbios tivesse surgido uma nova religião. Criado o clima de rebeldía de um lado, mas havendo uma grande quantidade de fiéis contentes e pacíficos de outro, foi realizada uma grande manifestação popular a favor dos Arautos do Evangelho em março último, demonstrando que a maioria da população apoiava seu trabalho. (veja o vídeo abaixo)


A fim de auxiliar os Arautos do Evangelho na árdua tarefa de administrar o Vicariato, o Vaticano nomeou em seguida um Delegado Apostólico, que é, ao mesmo tempo, secretario da Conferência dos Bispos do Equador, Monsenhor Ángel Polivio Sánchez, Bispo de Guaranda.


No início do mês de maio, o Papa Bento XVI chamou o Geral dos Carmelitas para uma conversa, fazendo com que logo em seguida os frades revoltosos de Sucumbios recebessem ordem de abandonar a cidade (são todos espanhóis) e voltassem para a Europa. Até agora a única notícia é que os mesmos tiveram uma reunião entre si para decidir "se obedecem ou não" as ordens superiores.


Restava agora a Rádio Sucumbios, em poder de correligionários dos carmelitas, que se negavam a entregar seu controle ao administrador do Vicariato e se puseram em franca rebeldia contra suas diretrizes e ordens.




Vejam alguns vídeos das atividades dos Arautos em Sucumbios


Semana Santa






Pe. Rafael Ibarguren




“Marcha Branca da Paz”




Retrospectiva abril/2011:


Nenhum comentário: