SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA

SÃO JOSÉ DE ANCHIETA E A NATUREZA
São José de Anchieta

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Santuário da Virgem de Pellevoisin

Pellevoisin, um pequeno vilarejo tranquilo e acolhedor na região de Berry, teria permanecido provavelmente desconhecido se não tivesse recebido um privilégio excepcional: a visita da Virgem Maria.
Tudo teve início em 1875. Estelle Faguette, uma jovem francesa de 32 anos, nascida em Châlons-en-Champagne, descobre ter uma doença incurável. E quando os médicos não lhe dão esperança, decidiu escrever diretamente a Nossa Senhora para pedir-lhe sua intercessão junto ao Filho divino para que possa ser curada e permanecer ao lado de seus pais, pobres e doentes, dos quais é o único ponto de referência. Num grande ímpeto de fé escreveu:
"Ouça minhas súplicas, minha boa Mãe, e conte-as a seu Filho divino. Dê minha saúde de volta, se assim quiser: mas seja feita sua vontade, e não a minha”.
A Virgem Maria respondeu a esta carta de tom confiante e, ao mesmo tempo, resignado. Era a noite entre 14 e 15 de fevereiro de 1876, ou seja, seis meses mais tarde. E Nossa Senhora apareceu pela primeira vez a Estelle:
“Tentava repousar quando improvisamente apareceu o diabo aos pés da minha cama… e logo depois apareceu também a Santa Virgem no ângulo oposto à minha cama”.
Maria permaneceu próxima à doente e a consolou. Estelle descobre então quanto é amada. A Virgem lhe diz que deverá custodiar a recordação dessas aparições. Olhando para a placa de mármore branco depositada diante de si, Estelle Faguette entendeu que se tratava de um ex-voto e, portanto, começou a pensar num lugar onde colocá-lo:
“Mas minha boa Mãe, onde deverá ser colocado? Em Nossa Senhora das Vitórias em Paris ou em Pellevoi...? Não meu deu o tempo de dizer toda a palavra Pellevoisin, que me respondeu: 'Em Nossa Senhora das Vitórias têm suficientes sinais do meu poder, enquanto em Pellevoisin não há nada, eles precisam de estímulos'”.
A cura aconteceu depois da quinta aparição, na noite entre 18 e 19 de fevereiro. Depois de uma forte dor, Estelle se sentiu curada. Esta cura foi reconhecida como milagrosa pela Igreja em 1983. Após a cura, Estelle recebeu outras 10 visitas por parte de Maria (de 1° de julho a 8 de dezembro de 1876) no decorrer das quais Nossa Senhora pediu aos fiéis que vestissem o escapulário do Sagrado Coração.
"Se queres servir-me, sejas simples", disse Maria a Estelle. E Estelle viveu em Pellevoisin uma vida totalmente simples e consagrada à Glória de Maria. No final de janeiro de 1900, vai a Roma onde o Papa Leão XIII a recebe calorosamente e ordena por decreto de 4 de abril de 1900 a difusão do escapulário do Sagrado Coração.
Aos 80 anos, Estelle pede para ser admitida na Terceira Ordem dominicana. Faleceu em 23 de agosto de 1929, aos 86 anos. Até o último momento, permaneceu inabalável na sua fé nas aparições e na mensagem da Virgem. Hoje repousa no cemitério de Pellevoisin. Sobre a sua lapide, somente duas palavras: "Sejas simples!".
O local das aparições de Pellevoisin é o quarto onde Estelle recebeu a cura e que foi transformada em capela em 1877. Os peregrinos chegam aqui de todo o mundo para rezar e implorar Nossa Senhora da Misericórdia.
Em Pellevoisin, esta profecia do Papa ressoa com um eco muito especial. A Santa Virgem, de fato, se aproxima de cada um de nós, para nos fazer viver este fogo da misericórdia e fazer-nos conhecer o Coração de Jesus. Hoje, o Santuário de Pellevoisin é confiado aos cuidados dos frades e das irmãs da comunidade São João. No decorrer do ano, são organizados retiros, sessões, finais de semana de oração e de reflexão, enquanto a peregrinação principal se realiza a cada dois anos, no último final de semana de agosto. O vilarejo permaneceu o mesmo de sempre, tranqüilo e acolhedor como na época.
“É preciso acender esta centelha da graça de Deus. È preciso transmitir ao mundo este fogo da misericórdia. Na misericórdia de Deus o mundo encontrará a paz, e o homem a felicidade! […] Sejam testemunhas da misericórdia!”, disse uma vez João Paulo II.
Virgem Maria, em Canã rezou para que a glória de Jesus se manifestasse.
Em Pellevoisin, depois da oração de Estelle, doente, obteve do teu Filho a cura completa daquela que a implorava.

Seja sempre atenta aos nossos pedidos. Acolhe no seu coração as nossas misérias, apresenta-as a Jesus para que as transforme e nos dê a misericórdia. Ensina-nos também a interceder pelos nossos irmãos, Por aqueles que amamos e por aqueles que nos fazem mal.


Nenhum comentário: